CHEIRO DE NOSTALGIA


"E o cheiro da nostalgia invade a minha mente como se viesse para fazer o estrago de que eu tanto preciso. As cores se vão num piscar de olhos quando precisamos estar vivos, mesmo que parados no mesmo mundo gigante e sem amores em que vivemos. Estamos sem motivos para estarmos vivos, mas estamos pelo acaso. O senhor do tempo, do mundo que gira sem sair do lugar, o mestre de obras que não se cansa de trabalhar. O acaso invade o nosso futuro e muda a mente sem nem sequer se preocupar com o que o passado guardou na memória. O cheiro de nostalgia invade meus sentidos e me pergunto se é realmente pra eu estar vivendo o que estou vivendo agora. Tenho um caminhão de sonhos com rodas quadradas que me impedem de ir rápido demais. Talvez os freios nos sirvam para avaliar com mais cuidado o que nos fará falta mais tarde. Vivendo o intenso sem nem se preocupar com as paradas da vida."