SIGNIFICADO DE AGNUS DEI : CORDEIRO DE DEUS

Ficheiro:Ghent Altarpiece D - Adoration of the Lamb 2.jpg
 
Significado de Agnus Dei

O que são Agnus Dei:

Agnus Dei significa Cordeiro de Deus. Agnus Dei é uma expressão do latim, muito utilizada pelos cristãos para falar referência a Jesus Cristo, após ter sido sacrificado na cruz.. A expressão Cordeiro de Deus faz parte das celebrações religiosas, fazendo referência a Jesus Cristo.

Agnus Dei é representado por um cordeiro ao lado de uma cruz.. O termo Agnus Dei é citado na  Bíblia, no Novo Testamento, no Evangelho do apóstolo João Batista, onde Jesus é citado:  "Eis o Cordeiro de Deus, aquele que tira os pecados do mundo". Essa mesma frase é citada nas orações rezadas nas missas da religião Católica.

Sacrificar animais, entre eles cordeiros,  fazia parte dos rituais do povo hebreu, como forma de remissão dos pecados cometidos.

Agnus Dei é uma medalha, pendurada em uma correntinha, usada pelos católicos como um amuleto para proteção divina.


 
 
 

Cordeiro de Deus ou em latimAgnus Dei, é uma expressão utilizada no cristianismo para se referir a Jesus Cristo, identificado como o salvador da humanidade, ao ter sido sacrificado em resgate pelo pecado original. Na arte e na simbologia icónica cristã, é frequentemente representado por um cordeiro com uma cruz. A expressão aparece no Novo Testamento, principalmente no Evangelho de João, onde João Baptista diz de Jesus: "Eis o Cordeiro de Deus, Aquele que tira o pecado do mundo" (João, 1:29).

Os hebreus tinham o costume de matar um cordeiro em sacríficio a Deus, para remissão dos pecados. O sacrifício de animais era frequente entre vários grupos étnicos, em várias partes do mundo. Na Bíblia é referido, por exemplo, o caso deAbraão que, para provar a sua fé em Deus teria de sacrificar o seu único filho, imolando-o e queimando-o numa pira de lenha, como era costume para os sacrifícios de animais - o relato bíblico refere, contudo, que Deus não permitiu tal execução. A morte de Jesus Cristo, considerado pelos cristãos como filho unigênito de Deus, tornaria estes sacrifícios desnecessários, já que sendo considerado perfeito, não tendo pecado e tendo nascido de uma virgem por graça do Espírito Santo, semelhante a Adão antes do pecado original, seria o sacrifício supremo, interpretado como o maior ato de amor de Deus para com a humanidade.

A interpretação desta expressão varia, contudo, consoante as doutrinas.

Objeto de devoção

Agnus Dei pode ser considerado também uma pequena peça, geralmente em metal dourado ou prateado, que costuma ser usada por católicos como sinal da proteção divina.

Rito litúrgico

Na liturgia católica e anglicana o Agnus Dei é recitado ou cantado durante o início a fração do pão eucarístico. Introduzida na missa pelo Papa Sérgio I (687-701) e baseada em João 1: 29, a forma latina (com tradução) é:

Agnus Dei, qui tollis peccata mundi, miserere nobis.
Agnus Dei, qui tollis peccata mundi, miserere nobis.
Agnus Dei, qui tollis peccata mundi, dona nobis pacem.

Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós.
Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós.
Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, dai-nos a paz.

Na música sacra, muitos compositores realizaram verdadeiras obras-primas para esta parte da missa.

Quando a missa é de réquiem, este trecho recita-se ou canta-se da seguinte forma:

Agnus Dei, qui tollis peccata mundi, dona eis requiem.
Agnus Dei, qui tollis peccata mundi, dona eis requiem.
Agnus Dei, qui tollis peccata mundi, dona eis requiem sempiternam.

Cordeiro de Deus que tirais o pecado do mundo, dá-lhes o descanso.
Cordeiro de Deus que tirais o pecado do mundo, dá-lhes o descanso.
Cordeiro de Deus que tirais o pecado do mundo, dá-lhes o descanso eterno.

Referências