O OBJETO DA ORAÇÃO - THICH NHAT HANH


O Objeto da Oração

Nós todos temos desejos e aspirações e os desejos são, muitas vezes, a motivação para nossas orações. Podemos orar por gratidão ou procurando clareza e orientação. Muitas vezes as pessoas rezam por si mesmas primeiro, e então, por aqueles que amam. Geralmente não estamos habituados a realmente orar por estranhos e especialmente por aquelas pessoas que sentimos ódio e aqueles que fizeram sofrer a nós ou a nossos entes queridos.

O que a maioria de nós quer? Queremos uma boa saúde. Há muito pouco que podemos fazer se os nossos corpos estão com dor. Em segundo lugar, queremos o sucesso em tudo o que fazemos. Se somos um monge ou um empresário, queremos ter sucesso. A terceira coisa que a maioria das pessoas quer é bons relacionamentos ou amor. Se nossos relacionamentos com os outros não são bonitos, é impossível que nossa vida possa ser feliz. Então oramos para que o nosso contato diário com os outros seja harmonioso. Jovens e velhos, de qualquer país do mundo, a maioria de nós quer estas três coisas.

Vamos começar com a saúde. Todos nós queremos ser completamente saudáveis, mas a saúde perfeita é só uma idéia. Não é algo que possa ser realizado na vida. A razão pela qual ainda estamos vivos é porque estivemos mal de saúde no passado e nossos corpos desenvolveram resistências e Imunidades a determinadas doenças.

Não há ninguém que não tenha passado por doenças menores; nós estamos constantemente caindo doentes, especialmente quando somos crianças. Vírus e bactérias estão sempre ameaçando um ser vivo. Organismos microscópicos estão sempre presentes no ar, na água e na nossa comida. E porque nós sempre fomos cercados e atacados por organismos microscópicos, somos capazes de produzir anticorpos que nos protegem e defendem. Como estivemos doentes, somos capazes de nos proteger e continuar a viver.

Então não desejamos saúde sem doença. Sem doença, não há nenhuma saúde. Temos que reconhecer esse fato e viver em paz e alegria com a doença que temos. Mesmo se tiver um pouco a mais de gás em seu abdômen, você ainda pode rezar. Com uma dor no estômago ou nas costas, você pode rezar a fim de estabelecer a paz e a alegria; isso é chamado de prática. O desconforto que você tem é apenas uma oportunidade para poder praticar. Se nós apenas rezarmos ou meditarmos quando estivermos em perfeita saúde, nunca seremos capazes de produzir paz e alegria. Temos que assinar um Tratado de Paz para que possamos viver em paz com nossos problemas de saúde.

Claro, temos que ter um estado mínimo de saúde para podermos praticar com êxito. Podemos ter um jardim onde há trezentas belas árvores: pinheiros, ciprestes, árvores bodhi, salgueiros e macieiras. Em nosso jardim pode haver três ou quatro árvores que morreram ou não estão indo tão bem. Mas isso não significa que o nosso jardim já não seja bonito. Nosso jardim esta ainda vivo e bem.

Acontece o mesmo com o nosso corpo. Os olhos ainda estão bons? Seus pulmões ainda estão bons? Seus pés ainda são capazes de te levar aos lugares? Maomé, o Buda e Jesus tinham dores de estômago às vezes. Doença e morte fazem parte da vida.

A segunda coisa pelo que as pessoas muitas vezes rezam é sucesso. Todo mundo quer ser bem-sucedido. O comerciante quer ser bem-sucedido em sua profissão. O escritor quer ser famoso para vender muitos livros. O cineasta quer que seu filme tenha uma ampla distribuição. Todo mundo quer prosperar em sua profissão escolhida. Toda vez que entramos em um ano novo, desejamos uns aos outros prosperidade.

Mas é certo que a prosperidade seja um elemento essencial para a nossa felicidade? Esta é uma pergunta que vale a pena perguntar. Além disso, a prosperidade de uma pessoa pode levar ao declínio de outra pessoa. Muitas coisas têm apenas um valor relativo. Podemos nos sentir prósperos, porque temos mais que uma outra pessoa. No entanto, sempre teremos mais do que alguns e menos do que outros. Se nossa prosperidade é apenas relacionada a ter mais do que outros, isso não nos conduzirá à felicidade. Assim, quando oramos por prosperidade, parece que faz sentido orar somente para ter o que precisamos para sermos saudáveis. Oramos por alimento e calor suficientes para que possamos desfrutar do momento presente.

Então nossa felicidade pode não depender de prosperidade, mas ela depende de nossos relacionamentos. A felicidade não pode estar presente sem amor. Muitas vezes oramos por amor e harmonia entre nós e a pessoa que amamos, entre nós e a nossa família, nós e a nossa sociedade. Podemos fazer qualquer coisa, ou orar por qualquer coisa a fim de melhorar nossos relacionamentos? E como devemos orar? De acordo com a qual a fórmula?

Mesmo se você não reza muito frequentemente e a prática espiritual não é uma grande parte da sua vida, você pode se ver rezando por saúde, prosperidade e bons relacionamentos. Para aqueles que se tornam monges, monjas e para outros com uma prática espiritual forte, há outro objeto de oração. No canto budista, "O discípulo toca a terra em respeito," o objetivo é colocado assim:

Ir além do ciclo de nascimento e morte,
Para perceber o que não nasce e o que não morre.

Claro, pessoas que dedicaram suas vidas a prática espiritual também rezam por saúde, sucesso e harmonia, mas essas coisas sozinhas não são suficientes. Assim que você aprofunda sua prática espiritual, você começa a questionar. Você pode querer saber claramente, de onde eu vim? Por que estou aqui? Onde devo ir? Após a morte, continuo a existir ou não? Existe alguma relação entre mim e o Buddha, entre mim e Deus? Qual é o propósito original de minha presença aqui? Estas são as perguntas, as orações, de um dedicado praticante espiritual.

Se estivermos praticando e oramos apenas para saúde, sucesso e bons relacionamentos, nós ainda não somos praticantes autênticos. Um praticante autêntico tem que rezar em um nível mais profundo. Temos que praticar de tal forma que, no nosso cotidiano, sejamos capazes de ter insights sobre a natureza interdependente de todos os seres. Nosso maior desejo como praticantes espirituais é descobrir a essência das coisas e estar em contato com essa essência.

Quando essa satisfação está presente, então se temos boa saúde ou saúde debilitada, ainda podemos ser felizes. Se somos bem-sucedidos ou não em nosso trabalho, seja qual for, não sofremos. Quando nossa felicidade não depende de nosso sucesso ou da nossa saúde, nós seremos menos propensos a discutir com os outros ou fazê-los sofrer. Bons relacionamentos muito naturalmente vão estar presentes.

Então, como este tipo de oração é diferente? É diferente por causa do nível de nossa oração. Quando nós estivermos em contato com a dimensão última, com o nirvana, quando estamos em contato com Deus, então podemos aceitar tudo o que acontece no aqui e agora.

Nós já fomos para a terra da paz e da alegria e não precisamos sofrer. Se temos mais dez anos ou cinco anos de vida não faz diferença. Neste ponto nós mudamos nossa maneira de ver o mundo.

(Do livro de Thich Nhat Hanh - "The energy of prayer” - Tradução Leonardo Dobbin)


Comente esse texto em http://sangavirtual.blogspot.com

Caso queira obter esse texto em formato Word clique aqui

Fonte:http://www.viverconsciente.com/textos/objeto_da_oracao.htm